Informações uteis de machu picchu peru
| Antes Viajar

Informações úteis antes de viajar para Machu Picchu – Peru

Informações úteis antes de viajar para Machu Picchu – Peru

Caso esteja se programando para viajar para o Peru é importante conhecer um pouco da região. Elaboramos algumas informações úteis para que evite surpresas desagradáveis durante a viagem por falta de informação.
Lembramos que algumas informações podem sofrer ajustes sem prévio aviso.

Feriados no Peru:
Janeiro: 1 Ano Novo
Páscoa: Sexta-feira Santa
Maio: 1 Dia do Trabalho
Junho: 29 São Pedro e São Paulo
Julho: 28 e 29 Dia da Independência
Agosto: 30 Santa Rosa de Lima
Outubro: 8 Combate de Angamos
Novembro: 1 Día de todos os Santos
Dezembro: 8 Imaculada Conceição
Dezembro: 25 Natal

Datas quando os Museus e lugares turísticos estão fechados:
Lima
Museu de Ouro: Janeiro 1, Maio 1, Julho 28
Museu Rafael Larco Herrera: Não fecha nunca
Museu Arqueologico e Antropologico: Segundas-feiras, Janeiro 1, Maio 1, Julho 28, Julho 29, Novembro 1, Dezembro 25.
Museu da Nação: Janeiro 1, Maio 1, Julho 28, Dezembro 25.
Ruínas de Pachacamac: Janeiro 1, Dezembro 25.
Cusco
Catedral de Cusco: Domingos

Documentação:
Brasileiros não precisam de visto, passaporte ou até mesmo vacina para entrar no Peru. Apenas o RG recente e em bom estado é suficiente para visitar o país.

Artigos de Valor:
Não que o Peru seja perigoso, mas é sempre importante tomarmos algumas providências como deixar os documentos originais no cofre do hotel, levando apenas uma cópia do documento e uma pequena quantia em dinheiro, suficiente para jantar e comprar souvenires.

Doença da altitude, saúde e vacinas:
Para diminuir os efeitos da altitude em Cusco ou mesmo em outros locais elevados como Puno, é recomendado um descanso de aproximadamente duas horas, mesmo em repouso o corpo se adaptar à altitude. Sempre que chegamos em uma nova cidade, a vontade é de sair imediatamente e começar a explorar, mas nesse caso se contenha para aproveitar ainda mais o destino.
Não é necessário tomar a vacina contra a febre amarela para visitar o Peru, mesmo em áreas de selva, porém, a mesma é recomendada.

Moeda e câmbio monetário:
A moeda vigente no Peru é o Nuevo Sol, as notas são de 10, 20, 50, 100 e 200 Nuevos Soles. As moedas podem ser: 1, 5, 10, 20, 50 centavos e há também moedas de 1, 2 e 5 Nuevos Soles.
A melhor moeda para levar desde o Brasil é o dólar, a moeda é muito bem aceita em lojas e restaurantes. A troca do dólar pode ser realizada em bancos e na maioria dos hotéis. Porém, como o câmbio é flutuante, o valor e melhor local para troca é ideal perguntar para o guia no momento da sua viagem.
Os cartões de crédito internacionais também são aceitos em todos ambientes comerciais.

Gorjetas e Impostos:
Os impostos são invitáveis no Peru, como na maioria dos países. As gorjetas são de acordo com o serviço recebido, não existe um valor tabelado.

Hotéis:
Nos hotéis os carregadores geralmente recebem US$ 1,00 por bagagem e as camareiras US$ 1,00 por noite. Dica: Sugerimos levar algumas notas de US$ 1,00 para as gorjetas e também para facilitar trocos.

Restaurantes:
É uma regra geral a cobrança de um pequeno imposto sobre vendas e uma porcentagem de gratificação adicionada nas contas dos restaurantes. O valor é de acordo com o lugar, mas sempre aparece na conta. Como no Brasil, é comum deixar gorjeta nos restaurantes, em torno de 10% para atendimento normal e de 15 a 20% para um excelente serviço.

Guias turísticos e motoristas:
Nos passeios turísticos, a média da gorjeta para o guia é de US$ 5,00 por pessoa para os passeios de dia inteiro e de US$ 2,00 para os passeios de meio dia. A gorjeta do motorista, normalmente é a metade do que é dado ao guia.

Impostos do aeroporto:
Nos voos internacionais de Lima, há um imposto de saída de US$31.00. Nos voos internos do Peru, é necessário pagar uma taxa de aproximadamente US$ 7,40 de imposto de segurança para cada voo realizado.

Táxis:
Para identificar um Taxi é necessário que ele tenha um sinal vermelho e branco escrito “Taxi” no para-brisa. A cobrança não é realizada com taxímetro, portanto, o ideal é combinar o valor antes de aceitar a corrida. Os taxis de hotéis e aeroportos são mais caros dos que passam na rua, porém, são mais confiáveis. Os motoristas não esperam gorjeta pelo serviço prestado.

Produtos importados:
Os produtos que não são fabricados no Peru têm um custo muito maior do que se comprado no Brasil, alguns itens básicos como repelente, protetor solar e soluções para lentes de contato. Sugerimos que leve esses itens de casa para não pagar muito mais caro.

Lembranças e presentes:
As joias de ouro e prata são uma das melhores compras para fazer no Peru, mas não deixe de comprar também a enorme variedade de artesanato local como os xales, blusas de lã, tapeçaria, cerâmica, entre outros.

Fotografias:
Nas áreas indígenas, é costume dar ao fotografo uma gorjeta. Muitas vezes não precisa ser necessariamente em dinheiro, pode ser um presente como uma caneta ou doce por exemplo. Além disso, alguns artigos como camisetas, cosméticos, canetas, etc. Podem ser negociados como troca nos mercados indianos de artesanato indígena.

Clima:
Áridas zonas costeiras (Centros turísticos mais importantes – Lima, Trujillo, Ica, Nazca, Paracas):
O clima é temperado nessa região com chances de esquentar durante o ano inteiro e com poucas chuvas. De junho a outubro as temperaturas são mais baixas e nublado, nos outros meses as máximas são em torno de 29°C e as mínimas em torno de 10°C.

Serra ou vales altos (Centros turísticos – Cusco, Puno, Machu Picchu, Arequipa, Huancayo, Huaraz):
Nessa região os dias costumam ser ensolarados, máxima de 26°C durante o dia e mínima de 0°C durante a noite. Apesar de no inverno ser um pouco mais frio, chove menos. De dezembro a abril tem mais chances de chuva.
Dos locais turísticos, Machu Picchu é o local mais quente e Puno é o destino mais frio, podendo até nevar na época de chuva.

A Selva (Centros Turísticos – Puerto Maldonado, Iquitos):
O clima é quente e úmido, máxima de 37°C e mínima de 25°C) com chuvas frequentes durante todo o ano.

Vestuário:
O Peru tem um contato enorme com a natureza e ao ar livre, portanto, roupas confortáveis são as mais indicadas, para muitos destinos será necessário usar a segunda pele por conta das mudanças climáticas. Somente em Lima que as roupas podem ser mais leves, roupas confortáveis durante o dia e vestidos e paletós para jantar nos restaurantes elegantes.

Itens úteis para incluir na lista da bagagem:
– Casaco um pouco mais grosso para as noites frias (durante o ano inteiro, devido a altitude elevada).
– Casaco corta vento, normalmente são impermeáveis, ideal para usar caso esteja garoando.
– Repelente. Não esqueça de passar no dia de visita à Machu Picchu onde ficará mais exposto.
– Calçado com solado de borracha e um extra caso o primeiro molhe.
– Protetor solar, chapéu com aba larga e óculos de sol.
– Mochila pequena para pernoite em Machu Picchu.

Diferença do horário:
O horário local no Peru tem uma diferença de 2 horas antes com relação ao horário de Brasília, ou seja, quando no Brasil são 15h00, no Peru são 13h00. Quando entramos no horário de verão no Brasil, essa diferença passa a ser de 3 horas.

Corrente Elétrica:
A voltagem elétrica no Peru é de 220 volts, porém, a maioria dos hotéis têm a opção de 110 volts. O plug não é o mesmo do Brasil, é necessário usar um adaptador, normalmente oferecido pelo hotel, mas aconselhamos sempre levar um adaptador próprio universal.

Idiomas:
O Peru possui dois idiomas oficiais, o Espanhol e o Quechua. O Inglês é falado na maioria dos hotéis e pelo guia de turismo. Pelo fato de receberem muitos turistas brasileiros, os guias em geral, entendem bem o português e arriscam um portunhol.

População:
Um total de aproximadamente 21 milhões de pessoas. Sendo que as 10 nações indígenas presentes no país, chegam a 40% da população total.

Horário de atendimento:
Bancos: 9:00 a.m – 6:00 p.m horas de segunda-feira a sexta-feira. Das 9:00 a.m – 12:00 p.m os sábados.
Lojas: De segunda-feira a sexta-feira, das 10:00 a.m – 1:00 p.m e das 3:00 p.m – 8:00 p.m. Algumas lojas, shoppings e mercados estão abertos sábados e domingos.

Restaurantes:
Quando o assunto é gastronomia, o Peru supera as expectativas. Devido a diversidade de regiões e uma ampla diversidade de especiarias únicas, os chefs de renome se inspiram e afloram a criatividade. Lima é o pnricipal centro gastronômico do país e é reconhecido também internacionalmente como a “Capital Gastronômica das Americas”.

Deve provar:
Pisco Sour – O cocktail icônico peruano é a bebida mais consumida no Perú, feita com pisco, um conhaque feito na região produtora de vinho perto da cidade peruana chamada Pisco.
Conchitas a la Parmesana – Escalopes levemente temperados com pimenta e polvilhados com parmesão ralado por cima. Além disso, um pouco de manteiga em cima de cada escalope e um par de gotas de azeite de oliva. A verdadeira delicatessen Peruana.
Ceviche – Peixe fresco marinado em gotas de suco de limão e misturado com cebola roxa, sal e um toque de pimenta. A batata-doce e milho acompanham o prato. Você pode pedir o prato com o toque de pimenta ou “sem ají”.
Lomo Saltado – Pequenos pedaços de carne macia fritos com cebola e tomate vão fazer um rico molho, misturadas com batatas amarelas peruanas fritas e servido com arroz ao lado.

Shopping:
Para os produtos de qualidade de alpaca recomendamos as seguintes lojas:
Lima:
Alpaca – Av. Larco 859 em Miraflores, telefones 447-7163, 446-1687
La Casa de la Alpaca – Av. La Paz 665 em Miraflores, telefone 447-6271.
Cusco:
Alpaca Collection – Santo Domingo 299, telefone 23-6581.

Roteiros:
É possível conjugar diversas cidades em um pacote turístico de viagem para o Peru.
Tudo depende de quantos dias possui, quanto pretende gastar e o mais importante, a sua intenção na viagem.
Recomendamos consultar um especialista da Descubra Turismo para lhe ajudar na elaboração do roteiro.
Veja algumas sugestões de roteiro no seguinte link: http://www.descubraturismo.com.br/viagens-internacionais/america-do-sul/machu-picchu/

tudo sobre machu picchu no peru

0 Comentários

Deixe um Comentário